8.7.13

Sobre A Rosa, de Robert Walser





«Por exemplo, num livro de ficções curtas que li recentemente, A Rosa, uma personagem não só consegue discordar de si própria como, ainda por cima, se consola por causa disso. Os textos de Walser estão cheios de coisas inesperadas, frases que parecem aterrar neles vindas de um tempo mais moderno do que o seu, criaturas metidas em cenários que simplesmente não as pediam (um macaco numa taberna sem saber como se comportar com as senhoras), uma deliciosa desfaçatez que pode ser logo a seguir desarmada por um pedido aos leitores para que não levem aquilo a sério; enfim, têm uma pitada de loucura (…).» [Maria do Rosário Pedreira sobre A Rosa, de Robert Walser, no blogue Horas Extraordinárias]
 

De Robert Walser, a Relógio D’Água publicou O Salteador, A Rosa, Jakob von Gunten  — Um Diário, O Ajudante, Histórias de Amor e Os Irmãos Tanner.

Sem comentários:

Publicar um comentário