22.10.21

Bode Inspiratório em debate dia 23 de Outubro, no FOLIO

 





Amanhã, pelas 17h30, no Espaço Ó, Ana Margarida de Carvalho, escritora que concebeu e ergueu o projecto online, e Paula Perfeito,«voz e rosto» do projecto, fundadora e gestora do Entre | Vistas, falam sobre Bode Inspiratório.


O livro Bode Inspiratório está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/bode-inspiratorio-escape-goat/

Sobre 1984, de George Orwell e Xavier Coste

 



1984, adaptação de Xavier Coste do romance de George Orwell, vence Prémio Albert Uderzo 2021 de Melhor Contribuição para a Nona Arte


Na versão de Xavier Coste, 1984 de George Orwell torna-se ainda mais ameaçador e atual.


«Uma adaptação audaciosa.» [Le Monde]


«Xavier Coste conseguiu o impossível, adaptando magnificamente a BD este romance de culto.» [Canal BD]


«Uma versão perturbante e terrífica.» [BoDoï]


1984 (trad. Miguel Serras Pereira) e outras obras de George Orwell estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/george-orwell/

Sobre Big Sur, de Jack Kerouac

 



«Esta fecunda escrita natural não tem semelhante na última metade do século XX, é uma síntese de Proust, Céline, Thomas Wolfe, Hemingway, Genet, Thelonious Monk, Bashô, Charlie Parker e da própria compreensão do sagrado de Kerouac.

Big Sur é uma humana, exacta narrativa da espantosa devastação causada pelo delirium tremens alcoólico de Kerouac, um romancista excepcional que forçou os seus limites, uma proeza que poucos escritores tão atormentados realizaram (…). Aqui encontramos a São Francisco dos poetas, e reconhecemos o herói Dean Moriarty dez anos depois de Pela Estrada Fora. Jack Kerouac era um “autor”, como o seu grande igual W. S. Burroughs disse, e aqui, no cume do seu genial temperamento sofredor, escreveu através da dor para acabar no brilhante poema final “O Mar”, nos alucinatórios sons do oceano Pacífico em Big Sur.» [Allen Ginsberg, 10-10-91, N. Y. C.]


Big Sur (trad. Paulo Faria) e outras obras de Jack Kerouac estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/jack-kerouac/

Sobre Mundo Belo, onde Estás, de Sally Rooney

 



Mundo Belo, onde Estás, de Sally Rooney, nomeado para An Post Irish Book Awards na categoria de Romance do Ano. Mais informação aqui.

A tradução de Marta Mendonça de Beautiful World, Where Are You chegará em breve às livrarias portuguesas.

Sr. Salário e Pessoas Normais estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/sally-rooney/


21.10.21

Sobre O Diário de Dorian Gray — Edição não Censurada, de Oscar Wilde

 



Esta edição reproduz o texto original de O Retrato de Dorian Gray, enviado em Março ou Abril de 1890 por Oscar Wilde a J. M. Stoddart, director de uma revista literária de Filadélfia. Mas este publicou a novela que havia solicitado a Oscar Wilde depois de ter retirado algumas centenas de palavras com referências homossexuais e que, em sua opinião, poderiam ofender as susceptibilidades dos leitores. Recorde-se que, no final do século XIX, a homossexualidade era ostracizada e mesmo criminalizada tanto nos EUA como no Reino Unido e na generalidade dos países. Em 1891, ao preparar a edição em livro, o próprio Oscar Wilde decidiu ampliá-la com novos capítulos, mas excluiu ao mesmo tempo várias referências homoeróticas que haviam escapado à censura de Stoddart. Como é explicado na nota acerca do texto, de Paulo Faria, esta edição retoma o texto original, enviado para a Lippincott’s Monthly Magazine.


O Retrato de Dorian Gray — Edição não Censurada (trad. Margarida Vale de Gato revista por Paulo Faria) e outras obras de Oscar Wilde estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/oscar-wilde/

Sobre A Mão Esquerda das Trevas, de Ursula K. Le Guin

 



Considerada uma obra maior da ficção científica, A Mão Esquerda das Trevas conta a história de um viajante solitário terrestre, enviado em missão para Inverno.

O objetivo da missão é permitir que Inverno seja incluído numa civilização galáctica. Os seus dois regimes políticos mais importantes são uma monarquia governada por um rei extravagante e um regime comunal, dirigido por uma burocracia minuciosa e racionalista.

Mas o mais estranho para o enviado terrestre é a particular androginia dos habitantes, que apenas numa dada fase assumem uma forma inteiramente feminina ou masculina, podendo ao mesmo tempo ser mães de umas crianças e pais de outras.

Este contacto com um modo de pensar diferente e as suas consequências nas relações pessoais e sociais permite alargar a compreensão da nossa própria realidade.


«Le Guin, mais do que Tolkien, elevou a fantasia à alta literatura, para o nosso tempo.» [Harold Bloom]


A Mão Esquerda das Trevas (tradução de Fátima Andrade) está disponível aqui: https://relogiodagua.pt/produto/a-mao-esquerda-das-trevas/

Sobre Cristina Carvalho e Selma Lagerlöf

 



Cristina Carvalho e Selma Lagerlöf em apresentação no Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa no Rio de Janeiro


Hoje, a partir das 17:00 (Rio de Janeiro), Alda Lentina participa na mesa-redonda “Interlocuções Femininas” e fala sobre “Invisíveis Correntes: Selma Lagerlöf, O Imperador de Portugal (1914), e Cristina Carvalho, A Saga de Selma Lagerlöf (2018).


A Saga de Selma Lagerlöf e outros livros de Cristina Carvalho estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/cristina-carvalho/