24.10.21

Sobre De Noite Todo o Sangue É Negro, de David Diop

 



«A loucura suscitada pela violência das guerras é tema muito explorado. Mas o francês Diop consegue, neste romance breve distinguido com o prémio International Booker 2021, criar fulgor. As primeiras linhas do novelo literário (que, desfeito, obrigará a reler as pistas iniciais) transportam-nos para a consciência de Alfa Ndiaye: o soldado senegalês, combatente na I Guerra Mundial, a remoer as vozes dos antepassados e o remorso por não ter acabado com a agonia de Mademba Diop, seu “mais do que irmão” ferido. É o gatilho que o fará decepar as mãos dos alemães mortos, destravar o delírio. “E, vista de longe, a nossa trincheira apareceu-me como os lábios entreabertos do sexo de uma mulher imensa. Uma mulher aberta, oferecida à guerra, aos obuses e a nós, os soldados. Foi a primeira coisa inconfessável que me permiti pensar.” Mitos, redenção, lost in translation, tudo terá aqui um papel.» [Sílvia Souto Cunha, Visão, 13/10/2021: https://visao.sapo.pt/visaose7e/livros-e-discos/2021-09-13-selecao-internacional-10-novos-livros-sem-fronteiras/]


De Noite Todo o Sangue É Negro, de David Diop (tradução de Miguel Serras Pereira), está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/de-noite-todo-o-sangue-e-negro/

23.10.21

Hoje, às 18:00, apresentação de As Crónicas de Explosão, de Yan Lianke, na Livraria Linha de Sombra, na Cinemateca Portuguesa

 





Terá hoje lugar uma conversa a propósito da publicação de “As Crónicas de Explosão”, de Yan Lianke, um dos mais destacados e influentes representantes da literatura chinesa contemporânea. Falar-se-á sobre a obra, o autor e o seu “Mitorrealismo”, mas também sobre os restantes autores chineses publicados em Portugal, assim como outros ainda não traduzidos em português.

Com a presença de:

Tiago Nabais – Tradutor de “As Crónicas de Explosão” e de outros livros chineses

Hélder Beja – Jornalista, argumentista, co-fundador do Festival Literário de Macau, do qual foi diretor de programação durante sete anos

Sara Figueiredo – Jornalista e crítica literária, colabora com o Expresso e a revista Blimunda. Editora do suplemento literário do Ponto Final (Macau)


As Crónicas de Explosão (trad. Tiago Nabais) e Sonho da Aldeia Ding (trad. Marta Mendonça) estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/yan-lianke/

Sobre O Riso, de Henri Bergson

 



«Que significa o riso? Que há no fundo do risível? Que descobriremos de comum entre um esgar de palhaço, um jogo de palavras, um quiproquó de vaudeville, uma requintada cena de comédia? Que destilação nos dará a essência, sempre a mesma, a que tantos e tão diversos produtos vão buscar ora o seu odor indiscreto, ora o seu delicado perfume? Os maiores pensadores, desde Aristóteles, têm enfrentado este pequeno problema, que se escapa sempre aos seus esforços, desliza, foge, ressurge, desafio impertinente lançado à especulação filosófica.

O que nos desculpa, ao abordarmos por nossa vez o problema, é o facto de não visarmos encerrar numa definição a fantasia cómica. Vemos nela, antes do mais, algo de vivo. Tratá­‑la­‑emos, por muito leve que ela seja, com o respeito que devemos à vida. Limitar-nos-emos a vê-la crescer e desabrochar.»


O Riso (trad. Miguel Serras Pereira) está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/o-riso-2/

22.10.21

Bode Inspiratório em debate dia 23 de Outubro, no FOLIO

 





Amanhã, pelas 17h30, no Espaço Ó, Ana Margarida de Carvalho, escritora que concebeu e ergueu o projecto online, e Paula Perfeito,«voz e rosto» do projecto, fundadora e gestora do Entre | Vistas, falam sobre Bode Inspiratório.


O livro Bode Inspiratório está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/bode-inspiratorio-escape-goat/

Sobre 1984, de George Orwell e Xavier Coste

 



1984, adaptação de Xavier Coste do romance de George Orwell, vence Prémio Albert Uderzo 2021 de Melhor Contribuição para a Nona Arte


Na versão de Xavier Coste, 1984 de George Orwell torna-se ainda mais ameaçador e atual.


«Uma adaptação audaciosa.» [Le Monde]


«Xavier Coste conseguiu o impossível, adaptando magnificamente a BD este romance de culto.» [Canal BD]


«Uma versão perturbante e terrífica.» [BoDoï]


1984 (trad. Miguel Serras Pereira) e outras obras de George Orwell estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/george-orwell/

Sobre Big Sur, de Jack Kerouac

 



«Esta fecunda escrita natural não tem semelhante na última metade do século XX, é uma síntese de Proust, Céline, Thomas Wolfe, Hemingway, Genet, Thelonious Monk, Bashô, Charlie Parker e da própria compreensão do sagrado de Kerouac.

Big Sur é uma humana, exacta narrativa da espantosa devastação causada pelo delirium tremens alcoólico de Kerouac, um romancista excepcional que forçou os seus limites, uma proeza que poucos escritores tão atormentados realizaram (…). Aqui encontramos a São Francisco dos poetas, e reconhecemos o herói Dean Moriarty dez anos depois de Pela Estrada Fora. Jack Kerouac era um “autor”, como o seu grande igual W. S. Burroughs disse, e aqui, no cume do seu genial temperamento sofredor, escreveu através da dor para acabar no brilhante poema final “O Mar”, nos alucinatórios sons do oceano Pacífico em Big Sur.» [Allen Ginsberg, 10-10-91, N. Y. C.]


Big Sur (trad. Paulo Faria) e outras obras de Jack Kerouac estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/jack-kerouac/

Sobre Mundo Belo, onde Estás, de Sally Rooney

 



Mundo Belo, onde Estás, de Sally Rooney, nomeado para An Post Irish Book Awards na categoria de Romance do Ano. Mais informação aqui.

A tradução de Marta Mendonça de Beautiful World, Where Are You chegará em breve às livrarias portuguesas.

Sr. Salário e Pessoas Normais estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/sally-rooney/