25.2.21

Sobre O Silêncio, de Don DeLillo

 



«Romancista, dramaturgo e ensaísta, é sempre gratificante voltar a Don DeLillo (n. 1936), o derradeiro guru da literatura norte-americana. Depois de ter escrito sobre temas tão diversos como o advento da Era digital, o assassinato de Kennedy, fraude fiscal, linguística, dissuasão nuclear, artes performativas, adultério, terrorismo, Wall Street, desporto, televisão, o 11 de Setembro (o melhor romance sobre a tragédia de 2001 continua a ser O Homem em Queda), velhice, etc., chegou a vez de escrever sobre o futuro próximo. Publicado em plena pandemia, O Silêncio, romance minimal que podia ser uma peça de teatro, centra-se no Super Bowl de 2022. Em Nova Iorque, defronte de um televisor, ansiosas pela final do campeonato, três pessoas aguardam a chegada de um casal amigo regressado de Paris (ignoram que o avião de Jim e Tessa tenha tido que fazer uma violenta aterragem de emergência). Até que tudo pára: televisores, laptops, relógios, telefones. Com o colapso geral da energia, a cidade está mergulhada na escuridão. Apocalipse da Internet provocado pela China? Ciberataque de origem russa? Início da Terceira Guerra Mundial? Invasão extraterrestre? Nenhum dos cinco sabe o que pensar. Deveras inquietante.» [Eduardo Pitta, Sábado, 25/2/2021]


«O Silêncio» e outras obras de Don DeLillo estão disponíveis em: https://relogiodagua.pt/autor/don-delillo/


Francisco Louçã falou sobre o lançamento da obra de Louise Glück em Portugal

 





«A Relógio D’Água publicou quatro volumes, quatro traduções por quatro tradutores diferentes, de Louise Glück, que ganhou o Prémio Nobel da Literatura em 2020. Noite Virtuosa o Fiel e Uma Vida de Aldeia — foram os que eu trouxe —, uma escritora norte-americana, não muito conhecida entre nós, e a obra foi agora publicada.» [Francisco Louçã, Tabu, Sic Notícias, 25m, 5/2/2021: https://tinyurl.com/mwb9u3ey]


As obras de Louise Glück estão disponíveis em: https://relogiodagua.pt/autor/louise-gluck/

Sobre Cânticos do Realismo e Outros Poemas, de Cesário Verde

 



«Esta nova publicação de Cesário Verde é assim constituída pelas páginas cobertas de decassílabos e de alexandrinos, líricos e mordazes de uma peculiar energia, e pela reduzida prosa epistolar.

E se ela é tributária de quantas a precederam, como se reconhece por ela adentro, do mesmo modo não prescinde da lição de Fialho de Almeida (“o maior poeta da prosa portuguesa”), “mestre incontestado do impressionismo”, rendido, ainda em vida de ambos, à novidade do canto de Cesário Verde (“o poeta mais dotado com qualidades da prosa”) (…).

Do mesmo modo esta edição também não prescinde da lição de Fernando Pessoa que, dos três mestres de língua portuguesa que elegeu, foi ao cantor de “O Sentimento dum Ocidental” — como ele transeunte das ruas de Lisboa e espectador desencantado do fim do império — que instituiu mestre do mestre das suas fantasmagorias autorais, fez mentor da descoberta sensacionista que instruiu a sua geração, a quem louvou em prosa e em verso e estudou, criticamente, em vários momentos.

Os dois escritores propunham-se estudar Cesário com demora através de uma obra que, por longos anos, foi presente nas letras portuguesas com apenas vinte e dois poemas, tendo o acaso frustrado tais propósitos. Talvez tenha sido ainda o acaso, mas agora de sinal positivo, a providenciar a reunião destes três enormes vultos de nascença oitocentista onde, em cadeia, ainda puderam tocar-se numa espécie de “transferência de energia dos antigos aos discípulos” (como Pessoa alegou em outras circunstâncias).» [Da Introdução]


Cânticos do Realismo e Outros Poemas está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/canticos-do-realismo/


24.2.21

Sobre O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu

 



Disponível em www.relogiodagua.pt e a chegar às livrarias: O Problema dos Três Corpos, de Liu Cixin (tradução de Telma Carvalho)


Tendo como pano de fundo inicial a Revolução Cultural chinesa, uma cientista de uma base militar secreta envia sinais para o espaço, tentando estabelecer contacto com extraterrestres. Quando uma civilização alienígena, quase extinta, capta o sinal, começam os preparativos para invadir a Terra, onde, enquanto isso, diferentes grupos se começaram a formar. Porém, enquanto alguns pretendem dar as boas-vindas a uma civilização superior, ajudando-os a controlar um mundo que se tornou excessivamente corrupto, outros pretendem travar a invasão.

O resultado é O Problema dos Três Corpos, uma obra-prima da ficção científica, escrita por um dos mais considerados autores da China contemporânea.


«Um livro altamente inovador… uma mistura única de especulação científica e filosófica.» [George R. R. Martin]


«A Guerra dos Mundos do século XXI.» [Wall Street Journal]


«Extraordinário.» [The New Yorker]


Vencedor do Prémio Hugo


Por iniciativa dos produtores de A Guerra dos Tronos, David Benioff e D. B. Weiss, O Problema dos Três Corpos será brevemente adaptado a série Netflix.


Sobre A Família Golovliov, de Saltykov-Shchedrin

 



Intensamente quente no Verão e fria no Inverno, a herdade da família Golovliov é o final do caminho. É lá que Arina Petrovna comanda os empregados e a família — até ceder o poder ao seu filho Porfírio. Um dos monstros mais memoráveis da literatura mundial, Porfírio é o perfeito hipócrita e maquinador que ataca sem remorsos aqueles que dele se aproximam. Mas no final até ele se revela incapaz de resistir a Golovliovo.


«… o grande romance A Família Golovliov, o mais sombrio e implacável exemplo de comédia negra na literatura russa do século XIX.» [V. S. Pritchett]


«A linhagem que começa com Dostoievski, passa por Shchedrin e chega a Hamsun é visível. Assim considerado, A Família Golovliov, um livro estranho e áspero, cujas personagens a um tempo sofrem a doença do nada e aspiram a ela, um livro que é por vezes uma ampla sátira, outras um livro de terror gótico, e outras ainda um anti‑romance, torna‑se cada vez mais moderno com a passagem do tempo.» [James Wood]


A Família Golovliov, de Saltykov-Shchedrin, está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/a-familia-golovliov/

Sobre Mr Fox, de Helen Oyeyemi

 




É uma tarde soalheira de 1938, e Mary Foxe está com um humor agressivo. St John Fox, um romancista célebre, já não a vê há seis anos. Por isso, não está preparado para a tarde em que ela o visita, mais não seja porque ela não existe. Está apaixonado por ela. Mas foi ele que a inventou.

“És um patife”, diz-lhe ela. “Um assassino em série… Estás a entender?”

Estará Mr Fox à altura do desafio da sua musa? Conseguirá deixar de assassinar as suas heroínas e explorar algo mais próximo do amor? O que irá a sua esposa Daphne pensar dessa súbita mudança no seu marido? Poderá desta vez existir um final feliz?


«As personagens de Oyeyemi quase dançam nas páginas dos seus livros. Este é o seu melhor romance até à data.» [Independent on Sunday]


«Não é apenas um romance profundamente imaginativo. Está repleto de inteligência e sabedoria. O seu melhor livro até hoje.» [Metro]


«Cómico, profundo, chocante, complexo e emotivo.» [Guardian]


Mr Fox (trad. de Ana Falcão Bastos) está disponível em https://relogiodagua.pt/produto/mr-fox/


Sobre David Molder, de Irène Némirovsky

 



Doente e abandonado pelos seus, David Golder, um temível homem das finanças, parece destinado a aceitar a ruína.

Mas o amor que tem pela sua filha Joyce, uma jovem frívola e gastadora, sobre a qual não tem qualquer ilusão, leva-o de novo ao campo de batalha.

David Golder decide reconstruir o seu império e prepara-se para o último combate, reunindo o que lhe resta da feroz energia do passado.

Publicado em 1929, este foi o primeiro romance de uma jovem escritora de origem russa de insólita maturidade.


David Golder e outras obras de Irène Némirovsky estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/autor/irene-nemirovsky/