28.4.20

Sobre Decameron, de Giovanni Boccaccio




No Verão de 1348, enquanto a peste negra lhes arrasa a cidade, dez jovens florentinos refugiam-se no campo, onde se entretêm a contar histórias durante os dez dias que ali irão permanecer.
Boccaccio reviu e reescreveu Decameron em 1370-71, fixando um texto que exprime em termos narrativos o espírito laico da burguesia comercial que afirmava então o seu protagonismo na vida social europeia. Fá-lo através de uma estrutura equilibrada em simetrias naturais, com um variado desfile de peripécias, situações e personagens, do simples popular ao libertino, num registo que vai da sátira de uma religião em crise à emoção poética perante a dor ou a morte.


Os dois volumes de Decameron (trad. Urbano Tavares Rodrigues) estão disponíveis em https://relogiodagua.pt/produto/decameron-2-vols/

Sem comentários:

Publicar um comentário