18.7.17

Sobre Cormac McCarthy





«Em El Paso, junto à fronteira com o México, os cowboys deixaram-se substituir pelos militares — uma imagem e uma boa metáfora para a actualização do mito do herói americano e da fronteira. É aí que Cormac McCarthy situa a sua Trilogia da Fronteira (Belos Cavalos, A Travessia e Cidades da Planície). Como em outras obras suas, as pessoas são duras porque a natureza é dura. São três livros da verdadeira literatura de fronteira em que o limite geográfico traz outros: a linha entre o bem e o mal, as contradições num indivíduo.» [Catarina Moura, a propósito de crítica ao livro Viagem do Sonho Americano, de Isabel Lucas, na Time Out Lisboa de 28/6/17]

Sem comentários:

Publicar um comentário