21.5.10

Eduardo Pitta sobre Fisiologia do Gosto, de Brillat-Savarin



«O tratado mistura fisiologia com gastronomia, apontamentos sociológicos, "gossip" literário e histórico, anedotário mundano, etc. Escrita no fim da vida, a obra fixa a vasta experiência deste girondino moderado que estudou direito, química e medicina antes de, como deputado do Terceiro Estado, ter assento na Constituinte de 1789.»

«Brillat-Savarin foi gastrónomo, "maire" de Belley e, a partir de 1797, juiz da Cour de Cassation, a mais alta instância judicial francesa. Escreveu e publicou inúmeras obras de direito e economia política, mas foi a Fisiologia do Gosto que fez deleum autor de referência. A crítica mais conspícua põe o livro no patamar de importância das Maximes de La Rochefoucauld e dos Caractères de La Bruyère. Três pilares do "diktat" cultural francês...»

(Eduardo Pitta, in Ípsilon, 21 MAI)


Sem comentários:

Publicar um comentário