10.5.10

NOVO LIVRO DE ANA TERESA PEREIRA: INVERNESS



- Chove muito nas ilhas do Norte - comentou ele.
- Sim. Durante meses inteiros. Acho que me tornei melacólica muito cedo.
Ele sorriu.
- Por causa da chuva?
- E a minha noção do tempo... Hoje, amanhã ou dentro de uma semana, é igual para um habitante das ilhas.
De repente, começou a rir. De alegria pura. Só por estar com ele.
Quando a chuva diminuiu continuaram a andar.
- Nasceste numa das ilhas?
- Nasci em Inverness.
- Inverness - repetiu ele. - A palavra sempre me fascinou.
- Fica na foz do Rio Ness.
- Eu sei.
- Quando tinha quatro anos, a minha mãe morreu. E o meu pai começou a dar aulas nas ilhas, e levou-me com ele.
- Durante muito tempo?
- Mais de cinco anos.
- As flores selvagens de Benbecula, a areia branca e sem fim de Berneray...
Estavam perto do rio, e sentaram-se num banco. Kate continuou a falar, e daí a pouco sentiu que a mão dele agarrava a sua. Quase distraidamente, levou a mão dele aos lábios.

Sem comentários:

Publicar um comentário