9.4.19

Sobre A Luz da Guerra, de Michael Ondaatje




«“Um livro de memórias é a herança perdida.” A mão que escreve estas palavras procura resgatar ao tempo os enigmas de uma infância e adolescência perdidas, no rescaldo de uma guerra que lhe roubara os pais e o lançara a ele e à irmã num labirinto de sombras. O escritor canadiano alcança neste livro uma subtileza de expressão, numa história extraordinária, onde o sigilo e a reserva recobrem cada página. […] Assumindo-se como peregrino de si mesmo, o que resta é uma melodia solitária e melancólica. Uma obra-prima.» [José Guardado Moreira, E, Expresso, 6/4/19]


De Michael Ondaatje, a Relógio D’Água editou também O Doente Inglês.

Sem comentários:

Publicar um comentário