23.2.15

Sobre Não Posso nem Quero, de Lydia Davis





«De alguma forma Lydia Davis inventou um formato literário, ou pelo menos ajudou a torná-lo nobre. Os seus livros de histórias breves assemelham-se a um desses blogues de reflexões e observações do quotidiano, textinhos avulsos transpostos para livro, quase sempre realistas, frequentemente autobiográficos. A diferença – a grande diferença – para a mediocridade que grassa na internet (e nas livrarias, já agora) está na originalidade do olhar, no cuidado da linguagem e no humor sintético, desconcertante e inteligente.» [Ricardo Dias Felner, Time Out, 18-2-2015]

Sem comentários:

Publicar um comentário