13.1.15

A chegar às livrarias: Morte Aparente no Pensamento, de Peter Sloterdijk (trad. de Carlos Leite)





No seu anterior livro, Tens de Mudar a Tua Vida, Peter Sloterdijk apresentou a prática como dimensão determinante da conditio humana. Em Morte Aparente no Pensamento, considera segundo esta nova perspetiva tanto a ciência como a prática do cientista.

Peter Sloterdijk concebe a ciência como maneira de trazer à vida o próprio cientista com recurso a sistemas de exercício geradores de ciência. Esse procedimento inicia-se com os relatos de Platão sobre o seu mestre ateniense: quando travava um intenso monólogo interior, Sócrates tinha pura e simplesmente de imobilizar-se em qualquer lugar. Assim sendo, a Academia original foi um centro de práticas onde os homens aprendiam técnicas para se ausentarem do mundo. As atuais universidades têm também, de certo modo, dado contributos neste domínio. Incluem-se na tradição desses «albergues de ausências» platónicos; fazem a ligação entre a alteridade do ato de pensar e a exterioridade do ato de pensar, ligação essa que torna possível a prática da ciência.

Sem comentários:

Publicar um comentário