23.4.19

Sobre O Susto, de Agustina Bessa-Luís




«Publicado em 1958, só agora foi reeditado. O Susto (Relógio D’Água, 248 págs., €17) tem como protagonista José Midões, poeta inspirado em Teixeira de Pascoaes – que Agustina venera, ao ponto de ensaiar-lhe, aqui, uma morte inspirada na de Tolstoi.
Quem o sublinha é o prefaciador António M. Feijó, que também detalha a acesa polémica à época: o irmão de Pascoaes acusou Agustina de desvirtuar a figura com o seu niilismo e audácia. Régio tomou o partido da família do poeta, e as palavras inflamaram-se. Neste livro, que “concilia ficção e crítica”, dramatiza-se, ainda, a relação entre Pascoaes e Pessoa.

Pretextos para a linguagem única de Agustina, que assim abre o volume: “Num povo pessimista, não o bastante para ser neurótico, nem exasperado para ser sobre-humano, depara-se-nos às vezes certo fenómeno de combustão interior e que é pouco menos que uma nova ética.”» [Sílvia Souto Cunha, Visão, 31/03/2019]

Sem comentários:

Publicar um comentário