26.4.19

Sobre Eu Vou, Tu Vais, Ele Vai, de Jenny Erpenbeck




«Por fim, a alemã Jenny Erpenbeck está publicada em Portugal e, lamentavelmente, apareceu sem causar estrondo. “Eu Vou, Tu Vais, Ele Vai”, romance que esteve entre os finalistas do Booker International em 2018, chegou até nós silenciosamente e merece muito mais do que passar ao largo. É um poderoso exercício literário e humanista de compreensão e tentativa de aprofundamento de um dos temas mais trágicos do nosso tempo: o drama dos refugiados africanos na Europa. Isso, sem que a escritora queira ser didáctica — embora o seja — ou moralmente comprometida — inevitavelmente.
O ponto de Erpenbeck é o de questionar a identidade , averiguar o sentido de deslocamento e de estranheza, inquirir sobre até que ponto podemos compreender o que é ser o outro quando o outro parece inacessível. Por razões políticas, culturais, históricas, sociais, económicas, emocionais.» [Isabel Lucas, Público, ípsilon, 26/4/2019]

Sem comentários:

Publicar um comentário