15.3.16

Sobre Aquário, de David Vann (trad. José Lima)




«A sexualidade de Caitlin virá a ser essencial no epílogo. É um dos momentos mais bem conseguidos do romance. A transformação é violenta. A acção revela o que estava escondido. Como os peixes, o ser humano é ligeiramente diferente do seu semelhante, mas não foge de um padrão. O fim do calvário de uns é o começo da procura do perdão por outros.
Aquário mantém a excepcional qualidade de David Vann. A história é inquietante. As personagens mantêm-se no imaginário do leitor muito para lá da última página do livro.» [Mário Rufino, Sábado]

Sem comentários:

Publicar um comentário