29.12.14

Segredo Ardente, de Stefan Zweig





No Atual, na sua crónica «Falso Consolo», Pedro Mexia fala das obras de Stefan Zweig publicadas pela Relógio D’Água.
Depois de referir Carta de Uma Desconhecida, Amok, Vinte e Quatro Horas da Vida de Uma Mulher, Mexia diz que a novela de que mais gosta é Segredo Ardente, afirmando que: «E todo o cosmopolitismo e o psicanalismo de Zweig dão lugar a uma ingenuidade infantil brutalmente traída, aquela que entende melhor o mundo, por choque e contraste. Não é por acaso que o espírito infantil e melancólico de Wes Anderson nos deu o melhor Zweig cinematográfico das últimas décadas.» [27-12-2014]

Sem comentários:

Publicar um comentário