2.4.19

Sobre Todos Nós Temos Medo do Vermelho, Amarelo e Azul, de Alexandre Andrade




«Com um título tirado de uma série de quadros de Barnett Newman, Todos Nós Temos Medo do Vermelho, Amarelo e Azul, de Alexandre Andrade, é um livro de contos sobre a cor e a violência que encerra.
[…]
Não subordinando a literatura nem a realismos serôdios que trazem sempre a marca de uma das palavras mais vazias do dicionário - “atualidade”; e o distante que estamos do veredicto de Rimbaud: “Il faut etrê absolutment moderne” -, nem, também, aos imperativos televisivos dos guionistas, os contos de Todos Nós Temos Medo do Vermelho, Amarelo e Azul, o mais recente livro de Alexandre Andrade, transportam o enigma e o segredo que, entre a pintura e a literatura, transformam a arte num território tantas vezes inóspito, anterior ao homem. [..]

E se Alexandre Andrade consegue evitar uma solução fácil quando se trata das relações entre literatura e artes visuais - a écfrase, a mera descrição dos quadros que vão surgindo nos diversos contos -, num dos seus melhores momentos é a cor que invade a escrita, ao ponto de o mundo se transformar numa vertigem em que apenas esta subsiste.» [João Oliveira Duarte, i, 27/3/2019. Texto completo em https://ionline.sapo.pt/651476 ]

Sem comentários:

Publicar um comentário