14.3.19

No centenário do nascimento de Iris Murdoch




No ano em que se comemora a 15 de Julho o centenário do nascimento de Iris Murdoch, a obra da escritora irlandesa adquire renovada importância, sendo objecto de diversas reedições.
Num mundo dominado pela ciência, os seus romances, desde o inicial Sob a Rede, de 1954, até ao último, Jackson’s Dilemma (1995), afirmaram a importância da literatura.
Iris Murdoch nasceu em Dublin, na Irlanda, numa família protestante, mas cresceu e viveu em Londres. 
No final da década de 1930, começou a estudar Filosofia e Línguas Clássicas em Oxford, ao lado de uma brilhante geração de filósofas, como Philippa Foot, Mary Beatrice Midgley ou Elizabeth Anscombe.
Estudou Grego com Eduard Fraenkel, o que lhe permitiu aprofundar o seu conhecimento da obra de Platão, cujas concepções influenciaram toda a sua obra (outras referências foram Kant, Simone Weil e Wittgenstein).
Casou em 1956 com o crítico literário John Bayley, com quem viveu até morrer em 1999. O seu amante, Elias Canetti, inspirou muitas das suas personagens masculinas.
Iris Murdoch começou por escrever ensaios de filosofia, sendo a autora da primeira monografia britânica de Jean-Paul Sartre.
Mas, como afirmaria em entrevista, «a literatura faz muitas coisas, a filosofia só uma».
Vários sos seus romances podem ser considerados como partindo de um gesto em que a autora lançou personagens no meio das casas, das ruas e dos parques londrinos e os deixou à solta, acompanhando as suas vidas, dúvidas, vocações e amores.
Escreveu 25 romances, sendo classificada muitas vezes na década de 70 como a mulher mais brilhante de Inglaterra. Reivindicou a importância da espiritualidade em relação à religião e a narrativa como espaço dramático de averiguação moral.
Recusou o modernismo de Joyce, inspirando-se na tradição do romance clássico de Dostoievski e Tolstoi, Eliot e Proust, que inovou. Mas Shakespeare e o teatro atravessaram toda a sua obra, a começar no que é talvez o seu mais importante romance, O Mar, o Mar.
Na Relógio D’Água tem publicados A Máquina do Amor Sagrado e Profano, O Mar, o Mar, O Bom Aprendiz, Um Homem Acidental, O Príncipe Negro, Uma Cabeça Decepada, Sob a Rede, O Sino e O Sonho de Bruno.

Sem comentários:

Publicar um comentário