28.1.19

Sobre Juro não Dizer nunca a Verdade, de Javier Marías




«Não raras vezes virulentos e até desmedidos, o que estes artigos nos mostram é um intelectual inconformado, muito distante da imagem ensimesmada que se cola aos autores de hoje. Em vários destes textos, Marías indigna-se com o que considera ser a imbecilização em curso das sociedades contemporâneas, agravada pelos efeitos das novas tecnologias e redes sociais, que fizeram da simples fruição uma doce e distante memória.» [Sérgio Almeida, JN, 4/1/2019]

De Javier Marías, a Relógio D’Água publicou também «Quando os Tontos Mandam» (crónicas), «Vidas Escritas» e «Veneza — Um Interior».

Sem comentários:

Publicar um comentário