9.5.17

A chegar às livrarias: As Águas da Eterna Juventude, de Donna Leon (trad. Margarida Periquito)


Em As Águas da Eterna Juventude, vigésimo quinto livro da série Guido Brunetti, o comissário vê-se envolvido num caso que pode não ser um crime.
Brunetti encontra-se a investigar um processo arquivado a pedido da Contessa Lando-Continui, uma amiga da sua sogra. Quinze anos antes, Manuela, a neta da Contessa, foi encontrada num canal. Apesar de ter sido resgatada no último momento, era já demasiado tarde — sofreu graves danos cerebrais e a sua vida nunca foi a mesma. Em tempos uma cavaleira apaixonada, Manuela, agora com trinta anos, não se recorda do acidente, vivendo prisioneira de uma juventude eterna.
A Contessa, que não está convencida de que se tratou de um acidente, implora a Brunetti que encontre o culpado. Preso numa mistura de curiosidade, pena, e um estranho desejo de ajudar uma pessoa tão amável, Brunetti decide reabrir o caso. Mas, assim que começa a investigação, depara-se com um passado turvo.
As Águas da Eterna Juventude está repleto dos ritmos e preocupações da vida veneziana contemporânea, como a preservação histórica, o alojamento e as novas ondas de migrantes africanos, que rodeiam a história de uma mulher presa a uma infância perpétua.

Sem comentários:

Enviar um comentário