19.5.16

Sobre O Aroma do Tempo, de Byung-Chul Han




«Em O Aroma do Tempo, na companhia de Heidegger, Nietzsche, Proust, Hegel e Baudrillard, Han diz-nos porque é que hoje em dia a crise temporal não passa pela aceleração (i. e., pela nossa mania de que não temos tempo) mas, sim, pelo facto de termos deixado de saber como nos demorar nas coisas. Usando mais ou menos jargão filosófico, Han não deixa o leitor comum a apanhar papéis, quanto mais não seja porque nos revemos facilmente naquilo sobre o que escreve.» [Diana Soeiro, Time Out, 4/5/2016]


De Byung-Chul Han, a Relógio D’Água publicou também A Agonia de Eros, A Sociedade do Cansaço, A Sociedade da Transparência e Psicopolítica, e publicará em breve A Salvação do Belo.

Sem comentários:

Publicar um comentário