28.4.16

Sobre A Economia como Desporto de Combate, de Ricardo Paes Mamede





«O contacto com a segunda intervenção do FMI em Portugal, nos anos 80, abriu-lhe os olhos. Tinha uns dez anos de idade na altura, e as dificuldades por que o país passava mostraram-lhe que “as injustiças pareciam estar muito associadas ao funcionamento da economia”. Volvidos 30 anos, já economista de formação e ofício, Ricardo Paes Mamede, autor do livro O Que Fazer com Este País, tornou-se conhecido por fazer parte de um grupo que não se revê na sacrossanta doutrina da austeridade imposta pelas instituições europeias e pelo governo anterior. Ironicamente, um dos três participantes do programa semanal da RTP3 “Números do Dinheiro”, fez o doutoramento na Universidade Bocconi, em Milão, famosa por ter uma das escolas de economia mais conservadoras da Europa, e de onde, de resto, saiu a ideia de austeridade expansionista que nos atormenta. Hoje, o resultado do desalinhamento de Paes Mamede traduz-se também na sua participação, com outros economistas, no blogue Ladrões de Bicicletas, onde esgrime argumentos contra o establishment económico atual, que tem dado a Portugal – e aos países do sul da Europa – graves problemas sociais. Uma recolha desses posts que pedalam contra a maré deu este livro – A Economia como Desporto de Combate, editado pela Relógio D’Água. Porque é o que esta ciência social é na realidade para quem não se conforma com o estado das coisas: um “combate permanente contra as ideias feitas”.» [Ricardo Nabais, JL, 27/4/2016]

Sem comentários:

Publicar um comentário