29.1.15

Sobre O Idiota, de Fiódor Dostoievski





«O romance é especial, mesmo entre os deste autor. Poucos outros exploram de forma tão clara alguns temas associados a Dostoievksi. Em especial, o contraste entre a corrupção do mundo, que encontramos aqui em múltiplos graus e formas, e a pureza de alma tal como representada por Lev Nikoláevitch Míchkin, o príncipe a quem o título se refere. Míchkin tem muito pouca experiência do mundo, apesar de já andar pelos 26 anos. Passou os últimos quatro na Suíça, onde esteve a tratar-se de epilepsia, e regressa à Rússia sem saber o que vai fazer da vida.» [Luís M. Faria, E, Expresso, 24-1-2015]

Sem comentários:

Publicar um comentário