12.12.14

ípsilon escolhe 4 livros de ficção da Relógio D’Água entre os 10 de 2014




No último número do ípsilon (suplemento do Público de 12-12-2014), os seus críticos habituais escolheram em conjunto os mais importantes livros publicados em 2014 em ficção e ensaio.




Entre as dez escolhas na ficção estão 4 títulos publicados pela Relógio D’Água. É o caso de Não Sabemos mesmo O Que Importa – Cem Poemas, de Paul Celan (justificação de Hugo Pinto Santos); Assim para Nós Haja Perdão, de A. M. Homes (j. de José Riço Direitinho); Nocturno Europeu, de Rui Nunes (j. de Maria da Conceição Caleiro) e Diários – Diários de Viagem, de Franz Kafka (j. de António Guerreiro).
Alargando a lista para os 20 mais de ficção, forma igualmente seleccionados Crónicas do Mal de Amor, de Elena Ferrante, e Contos e Diários, de Isaac Bábel.





No ensaio, e continuando a reportar-nos apenas a obras publicadas pela Relógio D’Água, foram escolhidos As Nuvens e o Vaso Sagrado, de Maria Filomena Molder (j. de Nuno Crespo) e Sobre a Violência, de Hannah Arendt (j. de António Araújo).
Alargando a perspectiva aos 20 mais, encontra-se também indicado Um Diário de Preces, de Flannery O’Connor, prefaciado por Pedro Mexia.

Sem comentários:

Publicar um comentário