21.10.14

Sobre Contos e Diários, de Isaac Bábel





«Há escritores assim, como Isaac Bábel (1894-1940), que por si só valem toda uma literatura. Não formam escola, não podem alimentar discípulos: criam eles próprios um estilo e um mundo singulares. Bábel, como Kafka, é um exemplo extremo. Os dois opõem-se como autores, mas entre ambos há íntimas semelhanças, conexões viscerais. São judeus, e isso conta. (…) Contos e Diários, que a Relógio D’Água nos faz agora chegar em tradução portuguesa, é uma edição exemplar. Agrupa o essencial de O Exército de Cavalaria, contos diversos, textos de O Diário de Petersburgo e o Diário de 1920, precedidos por uma excelente apresentação do escritor nascido em 1894 em Odessa, cidade cosmopolita, multilíngue.» [Maria da Conceição Caleiro, Público, ípsilon, 17-10-2014]

Sem comentários:

Publicar um comentário